Virgindade: mitos e verdades que toda mulher virgem deve saber

Foi-se o tempo em que a virgindade era considerada um assunto tabu. Embora ainda seja difícil falar sobre o tema para algumas pessoas, hoje elas conversam com mais facilidade sobre ser virgem.

Na época em que falar sobre virgindade não era tão bacana e aberto surgiram diversos mitos envolvendo o tema, sendo que alguns existem até hoje.Você é virgem e não sabe o que é mito e verdade quando se fala sobre o assunto? Então, saiba aqui o certo e errado e entenda mais sobre o tema!

Mitos e verdades sobre virgindade

Existe idade certa para perder a virgindade: mito

Quem decide o momento certo é a própria mulher, portanto, não há uma idade ideal. O importante é que a mulher se sinta segura, confortável e, principalmente, tenha vontade de transar. Isso pode ocorrer em qualquer idade.

O hímen se rompe somente com a penetração do pênis: mito

O hímen é uma membrana que está localizada na entrada do canal da vagina. Cientificamente falando, uma mulher virgem ainda tem essa membrana intacta.

Mas, o hímen pode ser rompido com qualquer outro objeto que se introduza na vagina, desde que tenha a espessura de um pênis. Carícias com dedos, por exemplo, não rompem a membrana.

Outras pessoas conseguem saber facilmente quando a mulher é virgem: mito

Esta é uma tarefa difícil até mesmo para um ginecologista, imagine para alguém que não tem conhecimento científico no assunto. Portanto, não dá para outras pessoas saberem se a mulher é virgem somente olhando para ela. Ademais, os homens também não conseguem notar essa diferença durante a relação sexual.

Todas as mulheres sentem dor na primeira relação: mito

Algumas mulheres sentem dor, mas não são todas. Isso ocorre porque o hímen está intacto e é rompido pela penetração, o que pode causar uma leve dor, semelhante a um desconforto.

Geralmente, quando a mulher está mais excitada ela não sente esse desconforto, porque a lubrificação natural da vagina é maior e facilita a relação sexual.

Não sentir prazer na primeira vez é normal: verdade

Nem sempre é possível sentir prazer ou ter um orgasmo na primeira relação sexual e isso ocorre porque a mulher está em uma fase de descoberta, de identificar o que lhe dá prazer e de conhecimento de seu corpo.

Com o tempo ela entende o que gosta mais na relação e também entra em melhor sintonia com seu parceiro, o que ajuda a aumentar o prazer durante a relação sexual.

O corpo muda depois de perder a virgindade: mito

A única coisa que muda anatomicamente falando é o hímen, que é rompido. De resto, não há outras alterações físicas. Algumas pessoas têm essa crença porque boa parte das mulheres transam pela primeira vez na puberdade, época em que seu corpo está mudando. Na realidade, ele muda por conta da puberdade e não pela relação sexual.

Sempre há sangramento na primeira relação: mito

O sangramento não é uma regra. Pode ser que ele ocorra porque ao romper o hímen existe a possibilidade de causar o rompimento de um vaso sanguíneo. Mas isso não é obrigatório. Inclusive, casos de sangramento são muito discretos, com pouca secreção.

Não é possível engravidar ou contrair uma DST na primeira vez: mito

Ser virgem não quer dizer que não se tem capacidade para engravidar. Se a mulher estiver em seu período fértil durante a primeira relação sexual, ela pode, sim, engravidar.

Além disso, a virgindade também não é uma barreira contra DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). Justamente por isso é importante usar o preservativo sempre!

Virgens podem fazer exames ginecológicos: verdade

Os exames ginecológicos são feitos de maneira preventiva. No caso das mulheres virgens, eles não rompem o hímen. Porém, é importante comunicar ao ginecologista a virgindade, para que ele possa indicar os exames corretos.

Virgens podem tomar anticoncepcional: verdade

Toda mulher pode tomar anticoncepcional, desde que indicado por seu ginecologista. É essa uma boa pedida especialmente para mulheres que pensam em iniciar sua vida sexual e procuram métodos contraceptivos que possibilitem ter melhor planejamento familiar.

Masturbação faz mal: mito

A masturbação é outro assunto tabu quando se fala em sexo. Durante muito tempo as pessoas acreditaram que ela faz mal, mas isso não é verdade. Inclusive, médicos se referem a ela como um excelente método de autoconhecimento e descoberta do próprio corpo.

Especialistas também encaram a masturbação como um exercício para a vida sexual. Somente é preciso ter cuidado para não a praticar em excesso, a ponto de atrapalhar outras rotinas, como se fosse um vício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *