Me Descobri Bissexual. E Agora?

Essa é uma descoberta que pode ser bastante perturbadora como tudo que foge ao socialmente aceito é. Na sigla LGBT a bissexualidade é representada pelo B, mas pode ser considerada uma orientação sexual quase que invisível, pois muitas pessoas consideram frescura, necessidade de parecer moderno ou apenas uma fase. Isso faz com que a comunidade bissexual pareça escassa, desorganizada ou inexistente.

Afinal, o que é Bissexualidade?

A Bissexualidade nada mais é que sentir atração sexual por homens e mulheres, na mesma intensidade ou não.

Muitas pessoas vivem experiências bissexuais na adolescência, mas podem não ser de fato bissexuais se não levarem esse comportamento para a vida adulta. A adolescência é uma fase de descobertas e experimentação, é quando a identidade sexual ainda não está completamente formada.

É justamente por isso que muitas pessoas julgam erroneamente a bissexualidade como apenas sendo uma fase. É necessário entender que uma pessoa pode viver experiências sexuais com meninos e meninas na adolescência e se descobrir tanto heterossexual, homossexual ou bissexual. Assim como pode se relacionar com apenas um dos gêneros, ou com nenhum, e ainda assim se identificar com alguma dessas orientações sexuais na vida adulta.

Bissexual é promíscuo? É confuso?

Muitas perguntas vem a mente por ser um assunto até então pouco discutido. A sociedade em geral julga o bissexual como promíscuo por falta de conhecimento, o famoso preconceito. É como colocar as pessoas juntas em uma caixa e rotular sem conhecer a individualidade de cada um. Ser promíscuo ou não vai da personalidade de cada um e não tem relação com orientação sexual, qualquer pessoa pode ser promíscua independente de ser gay, hétero ou bi.

Na verdade, se analisar a maioria dos homens foram criados para serem promíscuos, pois é estimulado a ter várias mulheres durante a vida e ser o “pegador”. Ou seja, isso é realmente uma questão de preconceito com os bissexuais.

Considerar o bissexual como confuso também é um preconceito. A pessoa que se identifica como bissexual não está em dúvida de gosta de homem ou mulher, ela sabe que gosta de ambos os gêneros, o que não significa querer todos ao mesmo tempo. Ela pode ter relacionamentos sérios e duradouros tanto com homem quanto com mulher.

Como agir?

O primeiro passo é a aceitação. Você precisa entender que não há nada de errado, não é um problema e você não precisa se reprimir. Você não precisa mudar. Muitas pessoas vão fazer julgamentos a seu respeito, mas você não deve dar importância.  Continue a ser a pessoa que sempre foi com as mesmas qualidades que sempre teve.

Como contar para os amigos e familiares?

Você não precisa sair contando para todo mundo em um primeiro momento, a menos que sinta essa necessidade. Primeiro, deve assimilar tudo que está acontecendo até se sentir confortável para falar.

Pode ser difícil conversar sobre isso com amigos e familiares, mas com muita paciência conseguirá fazer com que eles entendam que nada mudou, só é uma característica sua.  Pode ser que algumas pessoas não aceitem bem e precisem de tempo. Tenha calma, dê espaço a elas e principalmente não se sinta menos por isso, é uma limitação delas e não um defeito seu.

A dica é conversar com cada pessoa individualmente, explicar como se sente e se mostrar aberto a responder todas as dúvidas que ela possa ter.

Se você ainda mora com os pais e depende deles financeiramente é conveniente ir com calma. Você os conhece melhor que ninguém e sabe se eles são preconceituosos ou mentes abertas. Tenha certeza que terá para onde ir caso as coisas fujam do controle, pois infelizmente muitas famílias ainda não aceitam e acabam por expulsar os filhos de casa.

Terapia é necessário?

A terapia pode ajudar a entender o que está acontecendo com você e principalmente ajudar no período de aceitação. A terapia não deve ser encarada como algo que visa corrigir um erro, apenas lhe auxiliar a viver bem com sua orientação sexual. Fuja de charlatões que prometem cura: Bissexualidade não é doença! Procure um profissional capacitado que entenda as suas necessidades e lhe ofereça apoio. A sexualidade humana é bastante complexa e vale a pena se aprofundar para entender melhor.

E você, o que pensa sobre esse assunto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *