Ponto G: Verdades e Mitos

O ponto de Grafenberg , mais conhecido como ponto G, recebe este nome em referência ao alemão Ernst Grafenberg que foi um grande pesquisador sobre o assunto. O ponto G é uma zona erógena da vagina e quando estimulado, conduz a níveis de excitações elevados causando intensos orgasmos e, levando então, a ejaculação feminina.

O ponto G não é um local específico, é uma área da vagina que permite ser estimulada. Isso quer dizer que, ele é como se fosse oculto, porém quando a mulher recebe estímulos no corpo inteiro e está excitada ele proporciona excitação máxima. Na parede da vagina, podemos encontrá-lo logo após a parede púbica. Tem uma textura gelatinosa e quando estimulado, muda a textura, possui fibras musculares e fica inchado quando recebe incentivos.

Como Estimular

O ideal é receber o estímulo ainda nas preliminares, mas se já está havendo a penetração, um dos momentos de atingi-lo é quando a mulher está por cima do homem, assim ensinam os terapeutas sexuais.

Mitos e verdades

Ponto G existe?

O ponto G como explicado no primeiro parágrafo é uma zona erógena da vagina, quando recebe estímulo conduz a níveis de excitação causando o orgasmo feminino. Porém ele fica dentro da parede vaginal, sendo parte de toda a genitália feminina.

Tocar no ponto G já faz com que a mulher libere o orgasmo?

Há uma série de situações e controvérsias. Para a mulher ser estimulada e chegar ao orgasmo é necessário que também seja estimulado outras áreas do corpo, como a boca por exemplo. Com certeza se você for direto ao ponto terá frustrações pois a mulher é estimulada de muitas formas e essa não é a única.

ACHO que tive um orgasmo, será?

A sensação do orgasmo por menor que seja não há nenhum achismo, a sensação de excitação máxima é claramente sentida. Se você tem dificuldades de se sentir a vontade, procure profissionais, busque estar a vontade para melhorar sua relação sexual.

Ponto G se estimulado pode ter múltiplos orgasmos?

Vale lembrar que, toda mulher que esteja entregue na hora da relação sexual pode sentir sensações múltiplas. Isso não depende somente de tocar no ponto G como já mencionamos, porém de todo o restante dos estímulos. A excitação depende de explorar áreas que liberam essas sensações múltipla e isso não envolve apenas um ponto.

Estimulando áreas que excitam o ponto G

Seios

O parceiro deve começar a cariciar essa área de maneira delicada, beijando cuidadosamente e depois, aumentar a intensidade de maneira carinhosa conforme forem ficando enrijecidos.

Pescoço e orelhas

Área bem delicada que ao receber estímulos provoca uma fervor no ponto G. A circulação sanguínea é ativada, a pele arrepia e todo o corpo fica sensível. Palavras eróticas também fazem ativer o ponto G.

Barriga

Ela multiplica a sensação de excitação, causando também uma maior circulação de sangue na região genital onde está localizado o ponto G.

Lembre-se e vale anotar que mesmo sendo estimulado o ponto, ele não é como um botão que se apertado vai ocasionar a excitação. O ponto G primeiramente está na mente, a mulher só alcança este ponto quando a entrega leva ela a sentir realmente excitada.

A sensação máxima para chegar ao orgasmo, é necessário ter muita excitação e para isso a mulher tem que se soltar, somente assim a compensação máxima de prazer será alcançada diante do sexo. Não há solução mágica para o orgasmo acontecer, não adianta mandingas, transas diversas ou qualquer tipo de loucura sexual.

A mulher tem que se sentir relaxada, confiante, a vontade para poder começar a ter excitações máximas e se entregar totalmente. A mulher pode até estar lubrificada, atingir excitação e o orgasmo pode não acontecer. A intensidade do orgasmo depende muito da sua mente, ela deve estar se sentindo a vontade, se libertando dos receios femininos e somente assim conseguirá seu orgasmo naturalmente. Esta é a verdadeira realidade sobre o sexo e sobre o ponto G.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *